segunda-feira, junho 23, 2008

Descobri há umas semanas o que é cidade. Verdade.

Ok.

Há poucas semanas voltamos novamente do primeiro mundo, como já havíamos feito em março. Dessa vez, pode-se dizer que a volta foi do primeiríssimo mundo ou, como se costuma dizer, do velho mundo.

Como todos sabem - aqueles que foram e mesmo os que ainda não estiveram por aquelas paragens - toma-se um banho de civilidade e de história (e vou além: de belezas. Paris é uma cidade linda e a Toscana com seus campos de uva e cidades milenares não fica para trás. Tudo passa. A gente passa rápido. Aquilo fica. Noutros termos, nós estamos e lá é).

Já é.

Mas nossa casa é aqui, o Brasil, o Rio de Janeiro, espaço geográfico talvez de beleza natural inigualável e que comandou culturamente esse país por décadas mas que consegue ver seu perfil moral despencar continuamente, como se num precipício de fantasia estivesse, caindo, caindo, caindo... Um moto-contínuo de degradação ética, um bom exemplo de entropia. Um buraco negro, numa comparação simplificada.

Sim, há cariocas ótimos, 'do bem', como se diz. Há poucos dias conhecemos dois. E existem muitos outros. Mas um grupo (ou grupos?) que detém alguma autoridade insiste em estragar tudo: a paisagem e o astral. Uma turma da pesada, assentada em cinco séculos de falta de seriedade e na Lei da Vantagem.

Certo?

Lembrei de uma música do Natiruts, banda de reggae de Brasília. Diz lá: "...É difícil meu irmão, mas se você não tentar, não pense que eles tentarão porque (...) Quem te governa não merece ter nascido aqui no Brasil, no Brasil..." ("Cantar", Natiruts; no limewire ou emule mais próximos).
Não merecem ter nascido aqui no Rio de Janeiro.

E voltando ao início, que muitos não me escutem mas a-do-ro os Estados Unidos da América.

8 comentários:

Anne disse...

Vou fingir que não escutei mesmo... tsc, tsc.

Frederico disse...

USA, USA, USA !!! :-P

Frederico disse...

(MAS eu falei das belezas inebriantes européias!)
Agora... não tenho como negar: "Oh, say, can you see, by the dawn's early light
What so proudly we hailed at the twilight's last gleaming?
Whose broad stripes and bright stars, through the perilous fight,
Over the ramparts we watched, were so gallantly streaming.
(...)
Oh, say, does that star-spangled banner yet wave
Over the land of the free and the home of the brave?"

:-D

Anne disse...

Nossa, tá inspirado, hein?
E, parafraseando Casablanca, 'nós sempre teremos Paris...'

teresa disse...

viajar é sempre bom, mas voltar pra casa é o melhor!

Ane Brasil disse...

Tá, eu não escutei a última parte (hehehehe)
Agora, voltando à vaca fria: tenho acompanhado, além dos noticiários sanguinolentos da mídia gorda a discussão de uns camaradinhas cariocas acerca das eleições aí no Rio... puts, cês tão "malparados" hein? aí eu fico me perguntando: como é que um lugartão belo pode parir homens tão "feios"
Sorte e saúde pra todos - menos pra quem não merece nem ser carioca.

Luma disse...

Também não tenho nada contra país nenhum e esse lance de falar mal dos EUA é um tanto quanto irracional para os brasileiros. Beijus

Anne disse...

Ai, pessoinhas implicantes.
A única coisa que eu quis dizer é que eu não vou gastar meu rico dinheirinho viajando para os eua sendo que existem milhares de outros lugares mais legais para visitar!
aff....